Categoria: Menu Degustação

LAVANDA O RESCUE DOS ÓLEOS ESSENCIAIS

Cultivada na região de provence, a Lavanda, é relaxante e regeneradora. Seu nome vem de latim, do verbo lavare, que significa lavar.

Entre os antigos romanos, o purificador para banhos favoritos era o óleo de lavanda.

Excelente para avaliar insônia, tensão, cansaço ou depressão, problemas de pele e odores.

Por ser tão suave, pode ser aplicado sem diluição sobre queimaduras. Diminui cicatrizes e é ótimo para picadas de insetos.

Bom para:

Insônia; calmante; antidepressivo; respiratório; rejuvenescedor; estética facial; estética corporal; hidratação; todos os tipos de pele.

Saiba mais:

http://www.monas.com.br/ste/loja-detalhes-produto/84

Bom Chá pra você!

Sopa de milho com cheiro-verde

  • 1 cebola grande picada
  • 2 dentes de alho moído
  • 1 macinho de cheiro-verde
  • 3 espigas de milho
  • 1 colher de sopa de azeite
  • Sal a gosto

Preparo:

Corte cada espiga de milho, raspando bem o sabugo para aproveitar o germe.

Bata os grãos com 1 copo de água e reserve. Leve para cozinhar numa panela, a cebola, o alho, o cheiro verde picado com meia xícara de água e o sal. Quando a cebola estiver começando a cozinhar, acrescente o milho batido e mais 1 xícara de água. Deixe em forno brando, mexendo constantemente até  ferver. Acrescente estão o azeite e sirva.

Adoçar a boca

Morangos com Manjericão

2 caixas de morango

um bom punhado de manjericão

açúcar ou adoçante a gosto

Lave bem os morangos, bata metade no liquidificador rapidamente com o açúcar,

ou adoçante e o manjericão,

Sirva em taças os morangos inteiros com batante calda por cima.

Fica uma Delícia!!!

Suco Desintoxicante

1 maçã 1/2 cenoura

1 fatia de abacaxi

1 fatia de limão sem casca

1 fatia grossa de pepino

fatia grossa de beterraba

1/4 de aipo 1 buque de brócolis ou 2 folhas de couve

1 colher de chá de mel

Bata no liquidificador com gelo e beba em seguida

Receita

Bateu três gemas de ovos graúdos com as 2 medidas de açúcar, até que se formou um creme tão iluminado, parecia feito de raio de sol;  misturada devagar a colher cheia de manteiga,  brilhante e amarelinha. Aos poucos as 3  xícaras de farinha de trigo foram peneiradas, uma fina nuvem a juntar-se com o creme.

Massa fofa, pediu 1 copo de leite fresco e gordo; hora de colocar as claras, picos de neve cheios de leveza misturados à tigela, a colher de pau pareceu um remo em movimento no rio mais manso e tranquilo .  Por último o fermento, pôs a colher tão de leve que formaram-se bolhas.

Na assadeira, delicadamente untada e enfarinhada, deitou a massa lentamente. O Forno já estava quente; o bolo foi crescendo e corando e o aroma tomou conta da cozinha. Nada melhor do que esperar assar preparando o café.

Água pura e fresca na caneca posta para aquecer. Escorre do coador cheio de pó, direto para o bule deixando aquela fumacinha cheirosa no ar.

Estava  pronto, assado fofinho, amarelinho, amarelinho; põe no prato uma fatia de bolo e conforto. Xícara de café quentinho.  Sentiu-se de novo em casa, lembrou-se que tinha tempo pra ser feliz, era só querer…